365 Coisas Pra Fazer em JF

Jul 25

EU A AMO, APESAR DE TUDO

Motivados por uma propaganda enganosa publicada no Face Book (que anunciava “365 Coisas Pra Fazer em Juiz de Fora” e na verdade era só uma isca desses sites de compras coletivas), um grupo de pessoas se propôs o desafio de encontrar a verdade do anúncio: haverá 365 coisas pra se fazer em Juiz de Fora?

O resultado foi surpreendente. Chegamos a mais de 400 e tivemos que excluir algumas.

Antes de mais nada é uma declaração de amor a essa cidade - que talvez não mereça - que deve ser lida com o mesmo bom humor com que foi criada.

Divirta-se com a lista (que inclui o Bônus 366).

Os autores. 


E VAMOS À LISTA

1. Nada.

2. Tentar explicar pra quem é de fora, porque a cidade chama Juiz de Fora.


COMER BEM EM JF

3. Comer torresmo no Bar do Bigode e falar que o do Totonho é melhor.

4. Comer torresmo do Totonho e falar que o do Zé Ney é melhor.

5. Comer o torresmo do Zé Ney e falar que o do Bigode é melhor.

6. Aventurar-se pelo labirinto de galerias para encontrar a famosa Pizza Grega do Bar Futrica.

7. Costela ao Bafo no Bar do Gaúcho.

8. Jantar romântico no Til.

9. Feijoada de sábado no Bacco.

10. Tomar café no Maxi pão.

11. Fatia rosa na Doceria Brasil.

12. Salada customizada no Espaço Café Central.

13. Docinho macarrone do Vanille.

14. Coxinha com catupiry na Pipita.

15. Caldos no Boi na Curva no Eldorado.

16. Kibe do Mauad.

17. Esfiha da Tal da Esfiha.

18. Tomar um açaí no “Guaraná da Amazônia” em Benfica.

19. Dividir um macarrão na Casa D’Itália.

20. Comer espetinho em frente ao Muzik.

21. Comer churros da mãe da Sheila Carvalho.

22. Comer um Sputnik na Mexicana e ficar arrependido.

23. Comer um salgado em uma das 1467 “Tutys” espalhadas pela cidade.

24. Comer o mexidão, fresquinho, do Galdino.

25. Almoçar no Makro.

26. Fígado com jiló no Bar do Abílio ou Jabá de Jagunço no Pró-Copão.

27. Esfiha do Baalback. na galeria do Bar do Beco. Tem de carne, queijo e (a melhor de todas) de agrião!

28. Comer pastel com caldo de cana na feira da Av. Brasil.

29. Comer profiteroles na Planet enquanto lê um livro de graça.

30. Fazer um lanche no Mary Milk às 5 da manhã, completamente bêbado.

31. Comer pastelzinho enquanto espera vagar mesa no rodízio do Chimarron.

32. Comer pastel no Bar do Léo.

33. Comprar amendoim e coquinho no calçadão.

34. Comer frango ao molho pardo na Casa do Colono na estrada pra Monte Verde.

35. Tomar um caçulinha de Guaraná Americana - o verdadeiro sabor de Juiz de Fora - na Doceria Brasil.


ONDE IR EM JF

36. Passear no Mirante do Cristo e não ter um real pros binóculos.

37. Tomar seu primeiro chá de cogumelo em Ibitipoca.

38. Tomar pinga com mel em Ibitipoca.

39. Andar de escada rolante na galeria Solar.

40. Correr na UFJF só pra mostrar seu Nike Calçadão novo.

41. Conhecer belas banguelas do Forró da Marlene.

42. Ir ao Forró da Marlene e falar com primo de fora que é tendência em Juiz de Fora.

43. Dar uma trepadinha no Morro do Cristo.

44. Ser pego dando uma trepadinha no Morro do Cristo.

45. Pegar um ônibus cinza só pra descobrir aonde é que ele vai parar.

46. Fazer um piquenique na Cachoeira da Jamaica.

47. Ir pro sítio do cunhado da prima fazer um churrasco.

48. Levar a Chita no Bar da Árvore no Teixeiras.

49. Passar momentos agradáveis no Bar Recanto Natural em Benfica.

50. Voltar pra Juiz de Fora depois dos momentos agradáveis em Benfica.

51. Ser multado no radar da JK na volta de Benfica pra JF.

52. Passar carnaval em Iriri.

53. Fazer um piquenique no Parque da Lajinha.


JF É SÓ DIVERSÃO

54. Convidar a garota pra um cineminha terça no Alameda e fazer questão de pagar.

55. Curtir novela das seis na fila de pipoca no Parque Halfeld.

56. Jogar damas com desocupados no Parque Halfeld.

57. Observar as “estátuas vivas” do Calçadão.

58. Dar pinta na Parada Gay e dizer que é “só simpatizante”.

59. Dar comida pra pombo no Parque Halfeld.

61. Chutar pombo no Parque Halfeld.

62. Levar cagada de pombo no Parque Halfeld.

63. Andar no trenzinho suspenso do Habibb’s.

64. Tomar água de coco na barraca em frente ao Privilège.

65. Apreciar as capivaras na beira do Paraibuna.

66. Fumar um no Parque da Lajinha.

67. Fumar um na Trilha do Tostão na subida pro Morro do Cristo.

68. Fumar um na pracinha do Bom Pastor.

69. Jogar baralho com os velhinhos no Parque Halfeld.

70. Pegar um traveco de madrugada na Francisco Bernardino.

71. Assistir shows de graça na Praça de alimentação do Alameda.

72. Matar aula na Estácio tomando uma no Pocotó Bar.

73. Assistir a decisão do Campeonato Carioca em bar no Alto dos Passos.

74. Comemorar mais um campeonato do Flamengo no Alto dos Passos.

75. Comemorar mais um vice do Vasco no Alto dos Passos.

76. Jogar bocha no Baeta.

77. Quebrar um dente no desfile da Banda Daki.

78. Assistir ao desfile das escolas de samba à beira do Paraibuna.

79. Não assistir ao desfile das Escolas do segundo grupo.

80. Encher a cara na Festa Alemã.

81. Lamentar mais uma separação da dupla Gean e Roger.

82. Tentar convencer o Gean e o Roger a reatarem a dupla.

83. Assistir o show da volta da dupla Gean e Roger.

84. Lamentar de novo, mais uma separação da dupla Gean e Roger outra vez.

85. Parar no calçadão pra ouvir os concertos do Festival de Música Colonial.

86. Ser interrompido por um maluco dançando durante o concerto do Festival de Música Colonial.

87. Andar de bike na Via São Pedro enquanto ela não é inaugurada.

88. Jogar “Escapando da Fumaça”: andar no centro e não ser atingido diretamente por um bafo de fumante na pressa, ou de um caminhão logo ao lado do passeio, ou dos ônibus quando atravessando a rua.

89. Jogar “Fugindo dos Buracos” nas ruas dos bairros.

90. Passar o carnaval em JF para sair no Bloco do Beco e depois ficar vendo flashes dos desfiles das Escolas na TV.

91. Ir ao Carrefour ver carro velho.

92. Ir ver jogos dos times juizforanos com a camisa de times cariocas.

93. Ir passear no pedalinho do Museu e colocar a foto no Orkut, dizendo que é em um parque da Flórida.


A NOITE MAIS AGITADA DA ZONA DA MATA

94. Ir ao Muzik na sexta, encontrar um colega de trabalho e dizer que não sabia que era noite gay.

95. Levar um fio terra no banheiro do Muzik.

96. Roda de samba na quarta feira do Muzik.

97. Show do Gustavo Mendes no Empório

98. Ir a um show do Alan e Alisson na ABCR e constatar que a sua prima feia de Torreões é a Rainha do Baile lá.

99. Show do Velotrol no Cultural.

100. Ir ao show do Zona Blue no Cultural.

101. Ir de novo ao show do Zona Blue.

102. Fumar um na área aberta do Cultural.

103. Ir aos shows do TQ.

104. Tomar cerveja em posto de gasolina antes de ir pra balada.

105. Ir num show do Lúdica Música.

106. Visitar o Blitz Girl.

107. Chegar na Prime e dar a desculpa de que achava que ainda era Crize.

108. Ir ao Sayonara só pra dar uma olhadinha.

109. Ir ao Blitz Girl só pra dar uma olhadinha.

110. Ir ao Prime só pra dar uma olhadinha.

111. Ir pra casa tocar uma punheta.

112. Chegar antes da 23h no Privilège pra converter a entrada em consumação.

113. Não pegar ninguém no Privilège, dizer que foi só pra dançar.

114. Comer uma baranga no estacionamento do Privilège.

115. Dar pra qualquer babaca no estacionamento do Privilège pra não voltar pra casa no 0 x 0.

116. Ir pra chopada do fundo de formatura da faculdade.

117. Ir pra festa de bebida liberada com um shortinho mesmo com a temperatura a -100C.

118. Ir pra festa de bebida liberada sem camiseta mesmo com a temperatura a -100C.

119. Disputar quem beija mais no JF Folia.

120. Pegar sapinho no dia seguinte do JF Folia.

121. Tomar uma Kaiser gelada na Exposição agropecuária.

122. Assistir o rodeio comandado pela Mara Magalhães.

123. Ficar em pé no Bar do Bigode tirando onda, sem dinheiro, com o copo de cerveja quente e filando nas porções de torresmo dos outros.

124. Ficar em pé no Alto dos Passos, sem dinheiro, com copo de cerveja na mão, armando a balada da noite.

125. Ir a pé com uma baranga pro Motel Cactus.


GASTE AQUI SEU DINHEIRO

126. Ver vitrines no Independência Shopping.

127. Ver vitrines no Independência Shopping e fazer compras no Santa Cruz.

128. Comprar bijuteria dos hippies no Parque Halfeld.

129. Comprar bijuterias no calçadão.

130. Ir ao Alameda e falar que vai pro shopping.

131. Comprar um chapéu guarda chuva do índio no Calçadão.

132. Comprar uma parada no Olavo Costa.  


JF TEM SEU LADO RUIM

133. Tentar achar vaga no centro.

134. Tentar arrumar taxi às 18 horas.

135. Tentar usar o 3G.

136. Não comprar uma buchinha de cabelo da D Marinete e ser xingado por ela.

137. Comprar seu celular de volta na roubolândia da Batista.

138. Esperar o trem passar.

139. Formar-se em alguma faculdade particular sem diploma reconhecido pelo MEC.

140. Comprar um diploma “reconhecido” pelo MEC.

141. Formar e ficar desempregado.

142. Parar em vaga de deficiente no Centro e puxar a perna ao ver um “azulzinho”.

143. Discutir com um “azulzinho”.

144. Esperar dar 11 horas na rua pra entrar no banco.

145. Pegar senha da Central de Atendimento da PJF e dar um rolé e perder a vaga.

146. Esperar 3 horas na emergência do HPS.

147. Esperar 3 horas na emergência do Monte Sinai.

148. Pegar dengue no Jardim Glória.

149. Ter voo cancelado no aeroporto da Serrinha.

150. Esperar a obra de reforma do Cine Excelsior acabar.

151. Tentar fugir do trânsito da Av. Rio Branco e cair no engarrafamento da Olegário Maciel.

152. Nadar no mergulhão alagado.

153. Dar pra um menino no banheiro do shopping e depois deixar ele botar no Orkut. (Eu disse no Orkut).

154. Assistir Ituiutaba x Caldense na TV Panorama em plena quarta-feira de jogo no Campeonato Carioca.

155. Reclamar do seu carro Mile toda hora que tiver que subir um morro.

156. Deixar o carro morrer no cruzamento da Santo Antônio com a Espírito Santo.

157. Ficar agarrado atrás de carro de autoescola.

158. Passar o domingo num clube e pegar uma micose.

159. Passar o domingo numa cachoeira e pegar gonorreia.

160. Recusar-se a entrar em um Taxi Fiat Uno.


A JF DE POBRE

161. Fazer compras no Bahamas dia 6 de cada mês.

162. Comprar arroz Levieste em promoção no Bahamas.

163. Ler os classificados da Tribuna pra procurar emprego.

164. Tomar várias Bavárias no Piscinão da Marlene.

165. Sentir-se bela no meio de tanta gente feia que circula na Getúlio Vargas.

166. Ir ao teatro em janeiro porque na Campanha de Popularização só paga R$ 5,00.

167. Tirar pressão com o “Dr.” Marcelo (formado pela vida) na mesinha do calçadão.

168. Roubar chocolate nas Lojas Americanas.

169. Passar madrugada na fila da liquidação da Ricardo Eletro e ter esperança de falar com o Ricardo que viu preço mais barato na concorrência.

170. Comprar sombrinha em dia de chuva no Calçadão.

171. Botar gasolina naquele posto de combustível batizado da Francisco Bernardino.

172. Ir à feijoada do Cabelinho, comprar camisa com cheque pré-datado e depois sustar o cheque.

173. Pedir uma quentinha da feijoada do Cabelinho pra levar pra casa.

174. Ir ao churrasco do Magrão e falar que o nível é melhor que o da feijoada.

175. Ir ao Santa Cruz Shopping para se sentir mais rico.

176. Aproveitar a promoção da rapidinha no New York Motel.

177. Dar uma trepadinha rápida em algum hotel da Getúlio ou Halfeld parte baixa.

178. Pegar chato porque deu uma trepadinha rápida em algum hotel da Getúlio ou Halfeld parte baixa.

179. Comprar um desentupidor de fogão na Mister Moore.

180. Usar boné com etiqueta aparecendo e dizer que faz parte de uma gangue do Vitorino.

181. Pegar internet em padaria ou praça de alimentação com Wi-fi.

182. Passar tarde em lan house atualizando Orkut e conversando no MSN.

183. Acessar internet gratuita na Biblioteca Municipal (psssiiiiuuuuu!)

184. Levar a família pra almoçar no self-service domingo no Carrefour

185. Fazer um cartão da C&A.

186. Cancelar o cartão da C&A.

187. Fazer um cartão da Renner.

188. Cancelar o cartão da Renner.

189. Ir à feira de domingo ver as quinquilharias à venda.

190. Comprar algumas quinquilharias.

191. Voltar no próximo domingo para vender algumas quinquilharias.

192. Ir ao baile Funk no Tupi.

193. Levar tiro de briga de galera na saída do baile funk do Tupi.

194. Vir em ônibus da prefeitura vizinha pra estudar nas faculdades de JF.

195. Vir em ônibus da prefeitura vizinha fazer consulta gratuita na Associação do Cegos.

196. Pegar ônibus da Ascispes pra fazer consulta no SUS.

197. Pegar o ônibus de excursão na pracinha em frente ao Santa Cruz Shopping.

198. Aproveitar a promoção da “Última semana do Parque Trombini” nas próximas seis semanas.

199. Nadar no chafariz da Cesama no meio da Rio Branco.

200. Experimentar mais de 20 peças de roupa na C&A e não levar nenhuma.

201. Tirar foto com as roupas na cabine da C&A e colocar no Orkut.

202. Ir ao aeroporto ver os aviões pousando e decolando.

203. Voltar do aeroporto sem ter visto nenhum avião pousando ou decolando porque a Pantanal cancelou o voo.

204. Gastar o salário na balada no dia 6.

205. Procurar o calendário dos eventos gratuitos na Pça Antônio Carlos a partir do dia 7.

206. Frequentar o Baixo Santa Terezinha.

207. Dar cheque pra 71 dias no posto e um foda-se pra procedência da gasolina.

208. Comprar uma coca pet e um saco de fandangos nas Lojas Americanas e entrar com eles escondidos no cinema do Shopping.

209. Ficar dois dias sem comer pra ir à degustação do JF Sabor.

210. Tornar-se artista para entrar com Projeto na Lei Murilo Mendes.


ISSO É SER DE JF

211. Jogar purrinha no calçadão.

212. Subir e descer o Calçadão enquanto espera a hora da consulta.

213. Discutir politica, economia e onde estão as melhores prostituas de JF nas rodas de velhinhos do calçadão.

214. Disputar na purrinha quem vai pagar um Café na Galeria Pio X.

215. Seguindo o Cabelinho, botar os ombros de fora na sexta e não dar esmolas na rua.

216. Fazer uma festa na Estação São Pedro e pagar pra sair na coluna de domingo do Cabelinho.

217. Sentir-se famoso porque apareceu na coluna do Cabelinho.

218. Descobrir quantos aniversários o Bahamas faz por ano.

219. Fingir que odeia ser fotografado pelo Zine.

220. Implorar pra sair numa foto no Zine Cultural

221. Descobrir que sua foto não saiu no Zine Cultural.

222. Postar a foto do Zine no Orkut.

223. Fingir ser country na Festa Country.

224. Passar férias em apartamento emprestado em Cabo Frio.

225. Acender uma vela na Catedral.

226. Apagar as demais velas acesas da Catedral.. Marcar um encontro no “pirulito” do Parque Halfeld.

227. Entrar de penetra e comer de graça em algum coquetel no CCBM.

228. Dar uma grana pra D Maria do Calçadão e cantar “Segura na Mão de Deus” com ela.

229. Dizer que tem amizade com algum parente distante da Ana Carolina ou da Sheila Carvalho.

230. Encontrar com a Vivi Fernandes na fila do caixa do supermercado.

231. Receber um Prêmio de “Personalidade do Ano” do Léo Peixoto.

232. Fazer compras no Mercado da Mascarenhas.

233. Sentir saudade do Shizen.

234. Assistir o polêmico “Mesa de Debate” na TVE.

235. Ir ao Festival de Bandas Novas e ver o casal esquisito.

236. Conhecer o Chiquinho Cheiroso.

237.  Azarar as “meninas” do Chiquinho Cheiroso.

238. Sentir inveja do Chiquinho Cheiroso.

239. Sentir inveja daquele coroa de chapéu que namora uma morena muito gostosa que usa bermuda de lycra e passeia com cachorrinho.

240. Falar que viu o Bejani em algum lugar.

241. Negar que tenha votado no Bejani.

242. Demonstrar engajamento politico falando mal do Bejani.

243. Dizimar na igreja do Pastor Bejani.

244. Ser amigo da Josi Oliveira do tempo que ela trabalhava na BrasilCenter.

245. Botar banca que já pegou a Josi quando ela não era famosa.

246. Consultar com a Dra. Myllena no Hospital João Penido e pedir autógrafo na radiografia.

247. Encontrar o Vicentão no Calçadão e cumprimenta-lo com olhar acusador.

248. Encontrar com o vereador Tico-Tico e bradar: “Me ajude! Me ajude! Me ajude!”

249. Encontrar o Zé Eduardo e falar com ele que “ele é que foi o melhor prefeito”.

250. Pegar cortesia do Cultural com o Markito.

251. Fazer plantão no Alto dos Passos pra encontrar o Markito e pegar vale desconto pro Cultural.

252. Ficar olhando para o alto de um prédio no calçadão para ver quantos idiotas se juntam a você.

253. Admirar as pinturas em muros do “Zé Miraí, pintando por aí”.

254. Ler notícias de domingo e segunda na Tribuna de terça-feira.

255. Ler depois de amanhã o que aconteceu anteontem no Diário Regional.

256. Comprar uma paçoca do Paçoquinha.

257. Assistir shows de malabarismo no cruzamento da Independência com Rio Branco.

258. Fazer uma consulta com a Elisa, cartomante.

259. Querer fazer parte do casting da Patrícia Alvim.

260. Fazer parte do casting da Realiza Produções.

261. Zombar de quem faz parte do casting do Fabio Alface.

262. Fazer parte de todos os castings e não arrumar trabalho nenhum.

263. Fazer parte de todos os castings e arrumar trabalho de panfletador no Manoel Honório.

264. Panfletar em troca de ingressos e abadás pra festas.

265. Vender ingressos pra pagar fundo de formatura.

266. Perguntar onde foram parar os ônibus articulados comprados com auxílio do recurso público.

267. Ser convidado pro programa Jane convida da TVE.

268. Tentar entender como deixam a Jane Aragão apresentar um programa.

269. Descobrir que a Jane Aragão só faz o programa porque é dona da TVE.

270. Aceitar que Desidério é do bem.

271. Fazer a dança da chuva junto com os índios chilenos / colombianos / peruanos / paraguaios ao som de suas flautas boliviano-chilenas.

272. Conhecer o vendedor de bonés que é a cara do Zé Ramalho.

273. Abrir uma boate em sociedade com o DJ Zulu.

274. Fechar a boate que você abriu em sociedade com o DJ Zulu.

275. Assistir a um concerto de violão do Seu Antônio (aquele idoso afrodescendente).

276. Contratar o Rafael Mágico pra animar a festa de aniversário do seu filho.

277. Fazer curso de iniciação ao Teatro e TV e publicidade com Carlos Machado.

278. Perguntar pela loja de acessórios da Santa Rita que a velha não deixava ninguém entrar.

279. Falar que Juiz de Fora é a cidade que você adotou como sua, afinal ninguém é natural daqui.

280. Contar quantos cavalinhos pintados tem no prédio do Clube Juiz de Fora do Calçadão.

281. Mentir dizendo que já foi vizinho do Itamar Franco.

282. Ser heterossexual e perceber que está em extinção.

283. Comprar uma fantasia na Casa Combate.

284. Adorar uma fila em qualquer loja nova que inaugura na cidade.

285. Não assistir o Panorama Entrevista.

286. Falar pra todo mundo que o Omar levantou o Tupi.

287. Falar pra todo mundo que o Omar abandonou o Tupi.

288. Reclamar da falta de time do Tupi.

289. Sair do Festival de Bandas Novas e ir comprar vinho Canção no Bahamas 24 horas.

290. Ir às feiras no Exposhop e falar que nunca mais volta.

291. Voltar nas feiras no Exposhop.

292. Ir às Feiras do ExpoMinas e reclamar da falta de sinal no celular.

293. Ir ao Guest Fashion e brigar por uma peça de roupa com 5% de desconto.

294. Pedir ingressos pro Fashion Days pra prima que trabalha na Drops.

295. Tomar espumante barato na virada do ano no Calçadão.

296. Passar a virada de ano no mirante do Morro do Cristo.

297. Não ver a queima de fogos porque estava chovendo.

298. Sentir saudade do Dream’s e do Vivabella.

299. Ficar criando teorias sobre os homens ricos da cidade.

300. Tentar arranjar uma grana emprestada com o Adalberto Salgado.

301. Ser amigo do Renato Machado.

302. Achar que Juiz de Fora ainda tem a maior avenida em linha reta da América Latina.

303. Ir à Saraiva e ficar mexendo no iPad, fazendo cara de entendido.

304. Repetir bordões “políticos” em rodinhas no Calçadão, tipo “Bejani roubava, mas fazia”.

305. Tirar uma foto com a Catarina, a macaca que dança Calypso.

306. Repetir mais de 100 vezes o bordão “Vem chuva aí, gente”.

307. Dar comida para os micos no Parque Halfeld.

308. Ser atacado pelos micos no Parque Halfeld.

309. Fazer parte do grupo dos adoradores de árvores do Parque Halfeld.

310. Assistir a um concerto do Los Chuncas no Parque Halfeld tocando Lei it Be com flautas bolivianas.


Page 1 of 2